Homem tenta acender churrasqueira com gasolina e garrafa com combustível explode
Quarta, 26 de Dezembro de 2018 às 13:32
(A roupa derreteu toda no corpo dele), diz irmão de uma das quatro vítimas do acidente ocorrido no RS
A ceia de Natal de uma família de Tramandaí, no Litoral Norte do Rio Grande do Sul, transformou-se em noite de pânico na segunda-feira (24).

O construtor Pedro Lopes Lucrécio, 62 anos, tentava acender carvão com gasolina em uma churrasqueira quando a garrafa que continha o combustível explodiu. Chamas se propagaram pela casa, destruindo parte da cozinha e dos móveis e ferindo o construtor e três familiares.

O caso mais grave é do filho Alexsandro Lopes Lucrécio, 41 anos. Atingido por labaredas em quase metade do corpo, ele está internado em estado gravíssimo no Setor de Queimados do Hospital de Pronto Socorro, em Porto Alegre.

O acidente ocorreu por volta das 20h30min na moradia da família, na Rua Angélica Diehl, bairro Humaitá. Conforme relato dos parentes, Pedro e Alexsandro estavam começando a preparar a ceia. Assariam carne na churrasqueira, que fica dentro da cozinha. Pedro pegou um garrafa plástica de três litros com gasolina e óleo usada em motor de máquina de cortar grama com a intenção de acender o carvão. Ao jogar o líquido na churrasqueira, ocorreu uma explosão.

– O pai é acostumado a fazer churrasco. Não sei bem o que aconteceu. Ele foi colocar um pouquinho, deu um estouro, e veio tudo em cima dele. O Alex (Alexsandro) foi ajudar o pai e se queimou mais – conta Fernando Lopes Lucrécio, 39 anos, filho que mora próximo e chegou ao local instantes depois.

Fernando lembra que Alexsandro tem necessidades especiais, e que o pai conseguiu arrastar o filho para o pátio.

– A roupa do Alex derreteu toda no corpo dele. Ele o pai rolavam na grama tentando apagar o fogo – recorda.

As labaredas se alastraram pela cozinha, queimando parte do forro e de armários. Estavam no local mais duas pessoas: a mulher de Pedro, Marilda Amado Lopes, 59 anos, e a filha Débora Lopes Lucrécio, 35 anos. Marilda teve lesões nos pés e Débora, queimou os cotovelos, joelhos e pés.

A explosão chamou a atenção de outros filhos do casal, que moram nos fundos do pátio. O auxiliar de mecânico Alan Bueno Marçal diz que passava de carro na frente da casa e ajudou a acudir as vítimas.

– Foi uma cena horrível. Tive dificuldade para dormir esta noite – afirma.

O corpo de bombeiros e ambulâncias foram acionados. Marilda e Débora foram levadas para Unidade de Pronto Atendimento da cidade e liberadas horas depois. Pedro e Alexsandro deram entrada no hospital de Tramandaí com queimaduras de 2º e 3º graus nos braços e pernas. Ao amanhecer desta terça-feira (25), Alexsandro foi transferido para o HPS, na Capital.

– Ele sofreu queimaduras na metade do corpo com comprometimento das vias aéreas. É um caso gravíssimo – informou Gerson Pereira, médico intensivista do setor de Queimados do HPS.

Conforme Fernando, o estado de saúde do pai está sob avaliação e ele também pode ser transferido para a Capital. Religioso, Fernando fez um apelo em nome do irmão:

– Gostaria que todos rezassem pelo Alex. Ele precisa de muitas orações.
Fonte: Diário Catarinense / Jornal Oeste Popular SC
Imagens
Comentários