Vou buscar pacificar o Brasil\", diz Bolsonaro em novo pronunciamento nas redes sociais
Segunda, 29 de Outubro de 2018 às 15:00
Após discurso de vitória, Jair Bolsonaro deu declaração nas redes sociais
pós o discurso de vitória, o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) pregou a pacificação do Brasil em um novo pronunciamento nas redes sociais na noite deste domingo (28). Acompanhado da esposa Michelle de Paula Firmo Reinaldo e de uma intérprete de libras, o político falou por pouco mais de cinco minutos.
— Vou seguir o exemplo do patrono do Exército brasileiro, Duque de Caxias. Vou buscar pacificar o nosso Brasil. Que nós, pacificados, sem eles contra nós, ou nós contra eles, nós temos como fazer política que atendam ao interesse de todos — salienta Bolsonaro.

O pronunciamento ocorreu de dentro da casa do político na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro. Logo no início da transmissão, o novo presidente se justificou por não sair às ruas para comemorar a vitória.
— Por questão de segurança eu não posso sair, mas vale para todos que estão na rua. Estão felizes com o resultado dessas eleições. Eu não posso negar que estou muito feliz e muito confiante que possa realmente contribuir com o futuro da nossa nação — destacou.
O político agradeceu o apoio dos eleitores e reforçou que foram "três anos de muito sacrifício", mas compensadores. Sobre a escolha dos ministros, Bolsonaro reforçou que vai colocar "gente competente".

— De modo que eles possam atender as necessidades da população e não de agremiações políticas partidários como foi feito ao longo dos últimos anos. Somente dessa forma nós podemos sim, resgatar o nosso Brasil.
Confira cinco promessas de Bolsonaro para cobrar e acompanhar
No live, Bolsonaro disse que recebeu ligações de líderes, inclusive do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.
— Nós queremos sim nós aproximar de vários países do mundo, sem o viés ideológico. Por isso a necessidade de termos um bom ministro das relações exteriores que converse com o mundo todo pensando num projeto de o Brasil fazer comércio, logicamente sem preocupar o nosso empresário.

Por último, salientou que a família estará em primeiro lugar no Ministério da Educação, deixando de lado qualquer temática voltada para "ideologia ou voltada para o desgaste dos valores familiares".
Fonte: Diário Catarinense / Jornal Oeste Popular SC
Imagens
Comentários