Dois meses para a Chape salvar a temporada
Terça, 02 de Outubro de 2018 às 20:45
Clube do Oeste tem 11 partidas para evitar a queda à Série B
A temporada 2018 do futebol brasileiro está no fim.
A última rodada da Série A será no dia 2 de dezembro. A Chapecoense tem,
exatamente, dois meses para salvar o ano. Serão 11 jogos neste período para o
único clube catarinense no campeonato evitar um rebaixamento inédito.

O Verdão possui uma história inspiradora. Em 2009, o time do Oeste disputou a primeira edição da Série D e conquistou o acesso em
partida com granizo na Arena Condá. Depois, bateu na trave duas vezes na Série
C, mas na terceira, em 2012, pulou para a Série B. Um sonho à época, por ser um
campeonato com 38 rodadas e todos os jogos transmitidos pela TV.

Quem imaginava que a Chape havia ido longe demais se enganou. Mesmo com o menor investimento da competição, a equipe verde-branca se
livrou da queda na Série A em 2014 e permanece até hoje na elite. Chegou à
final da Sul-Americana 2016 e foi declarada campeã após a tragédia aérea. No
ano de reconstrução, em 2017, garantiu vaga à Libertadores.

Visita à Arena Condá

A Chapecoense se transformou em modelo de gestão no futebol. O Operário, de Ponta Grossa (PR), é uma das agremiações que se
espelharam no Verdão. O Fantasma, como é chamado, faturou dois acessos
nacionais seguidos – à Série C, em 2017, e à B, em 2018 – e, se não bastasse,
levantou o troféu de campeão nos dois torneios.

Claro que a Chapecoense é uma inspiração nossa, mas Série D e Série C é uma coisa. Na Série B, as coisas são completamente
diferentes. Mas vamos fazer um trabalho agora, durante este mês, de visitar
alguns clubes, e um deles é a própria Chapecoense, para ter uma noção melhor
das coisas”, disse o presidente Álvaro Góes, em entrevista ao Globoesporte.com

Possível encontro nos gramados

Em 2019, o Operário-PR poderá fazer novas visitas à Arena Condá, inclusive, para disputar confrontos oficiais. Isso porque a Chape
não consegue engrenar no Brasileirão e corre sério risco de cair. O Verdão é o
18º colocado contra 28 pontos, um atrás do 17° Vitória e a dois do Vasco, que é o
16° - Ceará e Bahia também tem 30 pontos. O próximo compromisso da equipe do
técnico Guto Ferreira será no sábado que vem (6), às 16h, contra o Atlético-MG, em
Chapecó

Rebaixamento provocaria queda brusca de receita

Se for rebaixada, a Chapecoense sofrerá a primeira queda no cenário nacional. A volta à Série B afetaria as finanças do clube, que
precisaria se readequar a uma nova realidade. Por exemplo, o Verdão recebeu R$
32 milhões de cota de TV por figurar na Série A 2018, mas na segunda divisão o
valor é muito menor – neste ano cada time ganhou R$ 6 milhões, exceto Coritiba
e Goiás, que têm contratos próprios com a televisão.

Além disso, tramitam processos trabalhistas contra o
clube em função da tragédia aérea de 2016. A agremiação já firmou acordos com
algumas famílias de vítimas. Se ficar no Brasileirão, a Chape vai receber uma
verba maior em 2019, beneficiada pelo novo formato de rateio dos direitos de
transmissão, possibilitando a manutenção do investimento no futebol sem deixar
de honrar os compromissos com os familiares.


A permanência na Série A salvaria uma temporada
marcada por turbulência. No primeiro semestre, a Chape frustrou o torcedor ao
perder o título estadual em casa para o Figueirense. Antes, o Verdão fora
eliminado na fase preliminar da Libertadores pelo Nacional, do Uruguai.

A Chapecoense fez bom papel somente na Copa do
Brasil, onde passou pelo Atlético-MG e avançou às quartas de final pela
primeira vez. Na sequência, parou no Corinthians.


Fonte: Diário do iguaçu /Jornal Oeste Popular SC
Imagens
Comentários