Deputado pede revogação do título de cidadão catarinense a Lula
Quarta, 28 de Março de 2018 às 08:08
O presidente estadual do PSDB, Deputado Marcos Vieira, e a bancada do PSDB na Assembleia Legislativa de Santa Catarina, querem a revogação imediata da concessão do título de cidadão honorário de Santa Catarina ao ex-presidente Lula
A honraria foi concedida em 2008, quando Lula ainda era presidente da República, e desde então nunca foi entregue.

Agora, os deputados tucanos não veem nenhuma razão para a honraria ser concedida. Segundo o Deputado Marcos Vieira, não se discute se Lula era merecedor ou não do título em 2008, mas agora, em 2018, ele definitivamente não merece ser cidadão honorário de Santa Catarina. “Hoje o cenário é completamente diferente, este cidadão hoje é um condenado em segunda instância pela Justiça, está em vias de ser preso. A Lei é muito clara, é vedada a concessão de título, medalha ou qualquer honraria a qualquer cidadão que tenha condenação na Justiça. Ou seja, tem que ser ficha limpa, e Lula hoje não merece, é um ficha suja, e por isso nós da bancada do PSDB vamos pedir que esta concessão de 10 anos atrás seja revogada”, explicou o Deputado Marcos Vieira.

PUBLICIDADE
inRead invented by Teads
Além de pedir que os companheiros de Assembleia Legislativa tenham bom senso e não entreguem a medalha ao ex-presidente, o Deputado Marcos Vieira também ressaltou que a bancada do PSDB também vai propor que todas as honrarias já concedidas a quem tem condenação na Justiça sejam revogadas.

“É uma aberração. Em um momento que a sociedade brasileira exige de nós todos atitudes mais dignas e mais transparentes, fomos duramente cobrados por cidadãos e também por entidades da sociedade civil, e lamento que alguns tenham tentado se aproveitar de uma situação de uma década atrás, de outro contexto. Por isso, o mínimo que devemos fazer agora é pedir a revogação dessa e cuidar para que nenhuma outra honraria catarinense seja manchada por serem concedidas a quem não as merece”, finalizou o Deputado Marcos Vieira.
Fonte: ASSESSORIA DE IMPRENSA
Imagens
Comentários