Dive investiga se morte de mulher de Gaspar foi causada por febre amarela
Sexta, 19 de Janeiro de 2018 às 06:57
Caso foi a segunda morte com suspeita da doença em SC
Uma moradora de Gaspar morreu nesta quarta-feira (17), sob suspeita de febre amarela. De acordo com nota divulgada pela prefeitura de Gaspar, a mulher de 57 anos não tem registro da vacina e foi internada no Hospital Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. O hospital realizou o processo de investigação de diagnóstico e na última terça-feira notificou a secretaria sobre o caso de suspeita de febre amarela, leptospirose e hepatite. Com a piora no quadro de saúde, a paciente foi transferida para o Hospital Santa Isabel, em Blumenau, onde faleceu na quarta-feira.

Conforme o documento divulgado pelo município, ainda não houve a confirmação de diagnóstico de nenhuma das doenças e as suspeitas estão sendo investigadas através de exames pelo Laboratório Central do Estado, que emitirá um laudo conclusivo ao final das análises dentro do prazo de 15 dias.

Segundo a prefeitura de Gaspar, na investigação do caso foi detectado que a paciente esteve em viagem ao interior do Estado de São Paulo, na região com foco da doença. A nota cita ainda que a Secretaria de Saúde da cidade tem tomado todas as providências desde o recebimento da notificação, de acordo com o protocolo oficial do Ministério da Saúde e da Vigilância em Epidemiológica do Estado de Santa Catarina.

Perguntas e respostas: tire as principais dúvidas sobre a febre amarela

Caso foi a segunda morte com suspeita da doença em SC


A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE) registrou do dia 1º de janeiro até esta quinta-feira cinco casos suspeitos de febre amarela no Estado, que estão sob investigação.

Segundo o órgão, todos os pacientes tiveram deslocamento para áreas com transmissão fora de Santa Catarina e aguardam resultado laboratorial. Desses, além do caso da moradora de Gaspar, um homem de Lajeado Grande também morreu.

Os exames são realizados pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) do Paraná, laboratório de referência em febre amarela para Santa Catarina, e os resultados podem levar até 20 dias para serem liberados.
Fonte: Diário Catarinense
Imagens
Comentários