INSS investe no atendimento digital dos segurados
Segunda, 09 de Outubro de 2017 às 15:26
O novo modelo de atendimento está em fase de implantação em São Miguel do Oeste e deve diminuir o fluxo da agência\r\n
O meio eletrônico, aos poucos, vem conquistando os holofotes quando o assunto é burocracia. A papelada e a demora no atendimento já são coisas do passado para muitas instituições. No Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que recebe 45 milhões de pessoas por ano, o processo digital vem dando as caras neste ano. O projeto “INSS Digital” pretende usar o processo eletrônico para várias demandas da população, o que pode diminuir o fluxo às agências e a espera pela resolução dos pedidos de benefícios.

O gerente do INSS de São Miguel do Oeste, Fernando Gusmão, explica que o projeto está em fase de implantação na agência do município. O objetivo é constituir um novo fluxo de atendimento, no qual os requerimentos da previdência e os benefícios previdenciários chegarão até o INSS através do meio eletrônico. “Hoje, basicamente todos os requerimentos são feitos via papel, apresentação da documentação via INSS com cópia da documentação original. A partir do momento da implantação do INSS Digital, a configuração do processo dos benefícios será digitalizada. A documentação e o processo serão eletrônicos”, explica.

Com o “INSS Digital”, Gusmão explica que todo o encaminhamento será feito na própria agência do segurado. Para otimizar ainda mais o tempo do atendimento, o gerente diz que é importante que o segurado já tenha em mãos os documentos digitalizados. “O segurado vai comparecer normalmente através do agendamento. Podemos fazer a digitalização dos documentos no INSS, mas o ideal é que ele já traga isso em um CD para quebrarmos algumas etapas e andarmos mais rápido. O processo será todo digitalizado e a partir disso, começamos a análise. O segurado vai receber o resultado da análise via e-mail pelos canais da previdência social”, orienta.

PARA OS AGRICULTORES

No caso dos agricultores, residentes em locais sem acesso à internet, o processo terá auxílio dos Acordos de Cooperação Técnica, os chamados ACT’S. Para isso, as entidades representativas das classes devem entrar em contato com o INSS e formalizar a representação do associado. Isso vale, segundo Gusmão, para as os sindicatos, empresas e também para os municípios, através das prefeituras.

“Os Acordos de Cooperação Técnica terão acesso ao sistema onde poderão requerer e fazer todo o trâmite processual do requerimento do benefício. O segurado, basicamente, enviará sua documentação através dos ACT’s, nós receberemos, faremos a análise e encaminharemos o resultado aos ACT’S. Formalizamos o convite à todas as entidades representativas que desejam fazer esse acordo. Não temos fixação ou determinação de que seja feita um ou outro acordo, podem ser feitos acordos com vários sindicatos de toda a região que atendemos”, explica.
WH3 Comunicações
Imagens
Comentários