Economia de SC deve crescer 2% em 2017
Terça, 12 de Setembro de 2017 às 07:41
Quinto melhor resultado do país no ano deve ser puxado pelos resultados do agronegócio
A economia de Santa Catarina terá um crescimento acima da média nacional em 2017. Enquanto o país deve terminar o ciclo recessivo com uma alta anual do Produto Interno Bruto (PIB) de apenas 0,5%, no Estado o valor chegará à casa dos 2%. A previsão consta no estudo "Mapa da Recuperação Econômica", realizado pelo banco Santander e divulgado nesta segunda-feira. Embora não chegue a animar, a estimativa para Santa Catarina é quinta maior entre os Estados brasileiros.

E o que deve puxar esse crescimento é o agronegócio. Segundo os responsáveis pelo estudo, o setor será o grande responsável pelos avanços no país. A lógica é a seguinte: quanto mais intimamente ligado ao campo, maior deve ser alta do PIB estadual.

"O impacto do campo deverá se materializar tanto diretamente, via PIB agropecuário (caso do Mato Grosso, Maranhão e Piauí), como indiretamente, via agroindústria ou dinamização do mercado de trabalho local, como parece ter ocorrido em estados do Centro-Sul. Unidades da federação onde o peso do agronegócio é menor tendem a exibir os piores resultados, como é o caso de Pernambuco e Rio de Janeiro, tendo o último uma situação agravada em decorrência da aguda crise fiscal", diz o estudo.

Para 2017, o Santander prevê grandes diferenças entre os entes federativos. Ao todo, 20 estados deverão ter PIB positivo, enquanto outros seis, além do Distrito Federal, tendem a registrar retração. A maior alta deve ocorrer no Mato Grosso, com 5,1%, enquanto o maior tombo ocorrerá no Rio de Janeiro: - 1,4%.

No caso de Santa Catarina, a previsão indica uma alta de 9,5% na agropecuária, 2,2% na indústria e 1,3% nos serviços.

Crescimento previsto para 2017

Mato Grosso: 5,1%
Maranhão: 3,1%
Mato Groso do Sul: 2,4%
Goiás: 2,2%
Santa Catarina: 2%
Tocantins: 1,9%
Piauí: 1,7%
Paraná: 1,7%
Rio Grande do Sul: 1,5%
Rondônia: 1,4%
Roraima: 1,2%
Amapá: 1,2%
Minas Gerais: 0,8%
Espírito Santo: 0,7%
São Paulo: 0,5%
Amazonas: 0,5%
Rio Grande do Norte: 0,5%
Ceará: 0,5%
Sergipe: 0,1%
Paraíba: 0,1%
Distrito Federal: -0,2%
Pará: -0,2%
Acre: -0,3%
Bahia: -0,3%
Pernambuo: -0,6%
Alagoas: -1%
Rio de Janeiro: -1,4%
Diário Catarinense
Imagens
Comentários