Idosos representam metade das mortes por gripe em SC
Sexta, 11 de Agosto de 2017 às 16:45
No total foram 30 óbitos, sendo que 15 estão relacionados a pacientes acima de 60 anos
Eles são considerados um dos grupos de risco quando o assunto é gripe e os números do último boletim da Diretoria de Vigilância Epidemiológica de SC (Dive-SC) comprovam isso.

Do total de 30 mortes por gripe, sendo 28 por influenza A e duas por B, 50%, ou 15 delas, estão relacionadas a pacientes com mais de 60 anos. Os idosos também representam a maior parte dos casos graves da doença: 39%.

Na última semana, o Estado registrou mais uma morte por gripe H3N2, além de cinco hospitalizações pelo vírus. No total de 258 casos, 217 são pelo H3N2, 36 pelo influenza B, quatro do vírus A (em investigação do subtipo) e um por H1N1. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira em relatório da Dive-SC;

Dos 258 casos, 154 apresentaram algum fator de risco associado, dos quais 101 eram idosos, 19 eram obesos, 12 eram crianças com idade abaixo de dois anos e 17 eram portadores de doenças crônicas, além de cinco gestantes.

As 30 mortes por influenza acometeram pacientes residentes em Florianópolis com cinco casos; Joinville com quatro casos; Caçador, Jaraguá do Sul, Lages e Tubarão com dois casos; Águas Mornas, Araranguá, Blumenau, Brusque, Catanduvas, Concórdia, Jaguaruna, Lajeado Grande, São Bento do Sul, São Francisco do Sul, São José, São Miguel do Oeste, Santa Rosa de Lima com um caso cada.

Prevenção

É importante lavar as mãos com frequência e evitar ambientes fechados e com aglomeração de pessoas. Também é necessário manter superfícies e objetos que entram em contato frequente com as mãos – como mesas, teclados, maçanetas e corrimãos – limpos com álcool, e não compartilhar objetos de uso pessoal, como copos e talheres. Se estiver gripado, cubra a boca e o nariz com um lenço quando tossir ou espirrar ou use o antebraço. Evite sair de casa quando tiver gripado.
Diário Catarinense
Imagens
Comentários